12.9 C
Itapiranga
sábado, julho 13, 2024
spot_img

O presidente da Celesc, Tarcísio Rosa, enalteceu os esforços dos técnicos que estiveram em campo

As duas frentes de trabalho da Celesc que atuaram na recomposição do sistema elétrico no Rio Grande do Sul, devastado pelas enchentes de maio, ajudaram a restabelecer a energia em bairros de Porto Alegre e de 35 comunidades daquele Estado. Após a empreitada de sucesso, os técnicos que ajudaram nessas ocorrências encerraram a missão e retornaram recentemente a Santa Catarina.

O governador Jorginho Mello elogiou o trabalho realizado pelas equipes da Celesc. “Nosso governo atuou em várias frentes de auxílio ao RS. E a reconstrução da rede elétrica, por meio da Celesc, fez total diferença para que as pessoas pudessem retomar suas vidas. Parabéns a todos os profissionais da companhia envolvidos nessa missão”, destacou o governador.

O presidente da Celesc, Tarcísio Rosa, enalteceu os esforços dos técnicos que estiveram em campo.

“A dedicação e o empenho dos nossos profissionais, terceiros e próprios, foram essenciais para o restabelecimento da energia elétrica em áreas tão afetadas. Este esforço conjunto reforça nosso compromisso com a sociedade, não apenas em Santa Catarina, mas também em momentos críticos em outras regiões. Estamos orgulhosos do trabalho realizado e da solidariedade demonstrada por nossas equipes”, disse ele.

Já o diretor de Distribuição da Celesc, Cláudio Varella, também ressaltou a atuação eficiente das equipes no Rio Grande do Sul. “Foi uma verdadeira operação de guerra, com uma logística complexa, mas nosso time cumpriu a missão com total competência e sem qualquer incidente. Parabéns a todos os nossos empregados pelo espírito altruísta e solidariedade”, ressaltou.

A primeira equipe a chegar ao RS atuou nos municípios do Vale do Taquari, uma das regiões mais afetadas pelas cheias e deslizamentos, e completou mais de 60 serviços de campo em 35 comunidades. Agora no começo de junho, conseguiram restabelecer o fornecimento para as comunidades de Campinho, Maracanã e Violanda, em Roca Sales, que chegaram a ficar 33 dias sem energia.

Ao todo, foram cinco dias de trabalho intenso, com a instalação de 57 novos postes, a recolocação de outros dez e a construção de uma nova rede totalmente reconstruída, com mais de 22 km de cabos.

O gerente da Divisão de Projeto e Construção da Celesc, Felipe Cassias Pereira, que esteve na região, explica que redes inteiras foram completamente varridas pela força da enxurrada e que, no caso de Roca Sales, a reconstrução trará benefícios a longo prazo. “A alimentação, que originalmente vinha do município de Muçum e fazia duas travessias sobre o rio Taquari, agora vem do município vizinho de Santa Tereza. Além da volta de energia neste momento, esta obra garante uma rede com maior confiabilidade para o futuro”.

Em Porto Alegre

A segunda força-tarefa da Celesc concentrou-se na cidade de Porto Alegre, principalmente nos bairros Humaitá, Sarandi, Ilha do Pavão, Ilha da Pintada, Ilha das Flores e em algumas localidades da zona sul da cidade.

As equipes chegaram à capital gaúcha no dia 26 de maio, e atuaram em parceria com os profissionais da Equatorial, a distribuidora de energia local. A principal atividade foi o restabelecimento da energia em regiões de enchente, com a recomposição de alimentadores e a energização de transformadores, além do atendimento de emergências, como cabos partidos, por exemplo.

O técnico industrial da Supervisão de Manutenção da Agência Regional de Blumenau, Thiago Vinicius Bittencourt, salientou as dificuldades de se trabalhar numa região desconhecida para a maioria dos eletricistas catarinenses. “Por não conhecermos muito bem as localidades e os detalhes da rede na região, optamos por ter equipes mistas com profissionais da Equatorial. Nosso trabalho foi bastante intenso”, completou.

Artigos relacionados

Fique conectado

5,750FãsCurtir
308SeguidoresSeguir
0SeguidoresSeguir
- Patrocinador -spot_img

Leia também