29.4 C
Itapiranga
sexta-feira, abril 12, 2024
spot_img

Usinas solares ganham força na região

Energia limpa

Ao rodar pela região hoje é inevitável avistarmos ao menos um sistema de placas solares. Algo ainda relativamente novo, mas que vem ganhando cada vez mais espaço, tanto nos centros urbanos, como no interior, mudando a paisagem e, ao mesmo tempo, se tornando uma fonte extra de renda. Estamos falando das usinas solares de investimento.

Mas afinal, o que são usinas solares de investimento? Para entender mais sobre o assunto, nossa reportagem conversou com Valdecir Bettio, sócio proprietário da G4 System de Tunápolis, empresa especializada no ramo de energia solar. Segundo o empresário, as usinas solares de investimento compreendem uma infraestrutura destinada à geração de energia elétrica por meio da captação da luz solar. “São projetos maiores que envolvem a instalação de painéis solares em áreas apropriadas para máxima captação de energia do sol”. Valdecir salienta que a usina solar pode ser uma fonte de renda de várias maneiras. “Primeiramente, a energia produzida pode ser consumida no próprio local, gerando economia na fatura e, também, pode ser alugado para comercializadoras de energia ou para consumidores finais, gerando receita através de contratos de aluguel da usina, recebendo pela geração de energia da mesma”.

O empresário explica que existem garantias firmadas de compra de energia estabelecidas através de contratos entre o proprietário da usina solar e o comprador da energia gerada na usina, sejam comercializadores ou consumidores finais. “Esses contratos fornecem segurança e previsibilidade de receita para o investidor, garantindo que a energia produzida seja vendida a preços acordados por um determinado período de tempo”. Porém, Bettio enfatiza que as concessionárias de energia podem aplicar tarifas ou taxas sobre a energia injetada pelo proprietário da usina solar na rede elétrica, que são conhecidas como tarifação do uso do sistema de distribuição, variando de acordo com a política especifica de cada concessionária de energia, sendo estabelecidas com o objetivo de cobrir os custos de manutenção e operação da rede elétrica.

“Um dos fatores que nos levou a fazer o investimento foi o retorno interessante, aliada a baixa mão de obra que a usina nos dá”

Ênio Braun, morador da comunidade de Santa Isabel, Itapiranga, trabalha em sociedade com Fernando Melz, no ramo da pecuária leiteira. Ênio explica que há cerca de cinco anos a propriedade já é autossuficiente na geração própria da energia consumida, através de um sistema de energia solar instalado sobre o compost barn. Esse sistema atende a propriedade e ambas residências.

Braun explica que já vinha se inteirando sobre o assunto das usinas solares de investimento há mais tempo antes de tomar a decisão, junto com o sócio Fernando. “Me interessou por ser uma questão de diversificação de renda na propriedade. Desta forma instalamos quatro usinas, destas, três a venda da energia gerada ocorre através de contrato com cooperativas. Uma estamos buscando negociar a venda da energia gerada com contrato direto com uma empresa. Se der certo, a renda será um pouco maior”.

Ênio frisa de que cada caso é distinto, então antes de se fazer o investimento é preciso, segundo ele, analisar as possibilidades, através de conversas com empresas especializadas no ramo, a exemplo da G4 System de Tunápolis, para ver a viabilidade real do investimento. “As usinas precisam dar um retorno de 1.8 a 2% ao mês para se tornarem viáveis, daí a importância da análise de localização da usina e outros. Aliás, um dos fatores que nos levou a fazer o investimento foi o retorno interessante, aliada a baixa mão de obra que a usina nos dá, que realmente é pouca. Outro fator interessante é que os contratos são reajustados conforme os aumentos da concessionária. A longo prazo isso parece ser interessante, uma vez que o nosso investimento deverá se pagar em 4,5 anos, sendo que a vida útil dos equipamentos solares é muito longa, sem falar do consumo de energia elétrica no Brasil, que aumenta ano após ano. Tudo isso nos traz tranquilidade quanto ao investimento”.

O investimento de Ênio e Fernando foi em quatro usinas. Duas delas, de 270 painéis de 555w cada, estão instaladas na comunidade de Beato Roque. As outras duas usinas, uma de 270 painéis de 555w e a outra de 120 painéis de 555w, estão instaladas na propriedade de Santa Isabel. As quatro usinas juntas somam 908 painéis instalados, gerando, em média, 55.000 kw de energia por mês.

“Usina solar de investimento lhe rende dinheiro mesmo quando você está tomando chimarrão, terere ou até mesmo viajando de férias”

Outra propriedade familiar que investiu em uma usina de investimento com a G4 System foi a dos irmãos Valdecir e Aloíssio Busse, da Linha Fátima, Tunápolis. Valdecir frisa de que a decisão de instalar a usina foi realmente para se ter uma renda extra na propriedade. “As expectativas são muito boas quanto ao retorno do investimento e ao incremento de renda na nossa propriedade. Olhando a questão da baixíssima mão de obra para manter o sistema, que se resume basicamente a duas lavagens anuais das placas, e o retorno interessante do investimento a longo prazo, temos a tranquilidade de dizer de que fizemos o investimento certo. As usinas solares de investimento lhe rendem dinheiro mesmo quando você está tomando chimarrão, terere ou até mesmo quando você está viajando de férias. As placas trabalham por você. Você não precisa de funcionários. O segredo é unicamente monitorar seu sistema”.

A família realizou o investimento em uma usina de 270 painéis de 555w cada, o que deverá gerar uma média de 16.200 kw por mês.

Artigos relacionados

Fique conectado

5,337FãsCurtir
247SeguidoresSeguir
0SeguidoresSeguir
- Patrocinador -spot_img

Leia também