Foto: Murici Balbinot/Arquivo

Um acordo político entre o governo de Santa Catarina e a Assembleia Legislativa de SC (Alesc) prevê a aprovação do auxílio emergencial, batizado de SC+Renda, para a próxima quarta-feira (9). A aprovação dará o sinal verde para iniciar os pagamentos, que aguardam a tramitação legislativa. Segundo aliados do governo, já há um entendimento para aprovar a matéria como foi apresentada pelo Executivo. 

A previsão da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS) é pagar a primeira parcela em julho. O texto prevê um auxílio de R$ 900, depositado em três parcelas mensais de R$ 300 (julho, agosto e setembro), para famílias em vulnerabilidade social e a pessoas desempregadas que atuavam nos setores mais atingidos pela pandemia, como transporte e eventos, por exemplo.

A previsão do Executivo é de que a medida beneficie 67 mil famílias, o que totalizará um repasse de R$ 60 milhões. Cada beneficiário receberá um cartão via prefeitura e poderá gastar os recursos em mercados, farmácias, e outros estabelecimentos semelhantes, mas não poderá sacar o dinheiro. 

O auxílio será disponibilizado para famílias que estão registradas no Cadastro Único (CadÚnico) que não recebem BPC e que não receberam nenhum auxílio do governo federal durante a pandemia. 

Além disso, pessoas que perderam o emprego nos setores ligados à alimentação, alojamento, promoções, eventos, turismo ou transporte coletivo, também poderão receber.