Como um dos protagonistas do anúncio de uma série de medidas feito nesta semana em entrevista coletiva do Palácio dos Bandeirantes, o secretário de Turismo paulista, o catarinense Vinícius Lummertz, destacou a liberação de R$ 100 milhões em crédito a microempresários de setores vulneráveis, a juros baixos e carência estendida, o que inclui bares, restaurantes e eventos, com recursos da Desenvolve SP (R$ 50 milhões) e do Banco do Povo (R$ 50 milhões).

“Este é um exemplo a ser seguido pelos demais estados brasileiros. O Turismo foi o mais atingido pela pandemia em todo o planeta, e no Brasil não é diferente”, afirmou Lummertz, que já foi ministro do Turismo e presidente da Embratur. “O sucesso desse anúncio deve-se ao diálogo permanente com as entidades representativas nacionais estaduais, inclusive destaco as negociações feitas com elas hoje mesmo, aqui no Palácio dos Bandeirantes”. 

O governo João Doria também estendeu a suspensão do corte de gás e água até o fim de abril em todo o estado, zerou o ICMS do leite e reduziu o da carne de 13,3% para 7%, em apoio a todos que estão se esforçando a manter os seus negócios em um momento de tanta restrição. São Paulo é o estado que mais vacinou até agora – e esta semana entregou mais de cinco milhões de doses produzidas pelo Instituto Butantan ao Governo Federal. 

Estiveram presentes em negociações e na coletiva de imprensa, entidades como a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a Associação Nacional dos Restaurantes (ANR) e a Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de São Paulo (Fhoresp).