Os meses de janeiro, fevereiro e março serão de chuva próxima a acima da média climatológica em Santa Catarina, informa a meteorologia da Epagri/Ciram. São esperados totais elevados de chuva especialmente em janeiro. Trovoadas com pancadas de chuva serão frequentes, ocorrendo principalmente na tarde e noite. As chuvas serão mal distribuídas no espaço.

A temperatura também deve ficar entre próxima a acima da média climatológica no Estado. As massas de ar quente atuam com frequência no trimestre, deixando a temperatura alta durante alguns dias consecutivos, principalmente em janeiro e fevereiro.

A previsão também indica a persistência do La Niña nos próximos três meses, que deve perder a intensidade a partir de abril. O amplo resfriamento das águas do Pacífico Equatorial nos meses de novembro e dezembro configuraram o fenômeno, com intensidade moderada a forte.

Acompanhamento

Os meteorologistas da Epagri/Ciram alertam que no verão, sobretudo em janeiro, é alta a incidência de temporais com raios, granizo e ventania em SC. Por vezes ocorrem acumulados significativos de chuva em curto espaço de tempo. Por isso, recomendam o acompanhamento diário dos boletins e informações disponibilizados no site.

Em janeiro e fevereiro o regime de verão já está estabelecido e as chuvas convectivas, ou seja, de curta duração, ocorrem com maior frequência entre a tarde e a noite, e por vezes na madrugada, com média em janeiro de 150 a 190 milímetros do Oeste ao Planalto e no Litoral Sul, chegando a 200 e 250 milímetros na Grande Florianópolis e Litoral Norte. Em fevereiro, a média mensal é de 150 a 170 milímetros no Planalto e chega e 190 a 210 milímetros no Oeste, Meio Oeste e no Litoral. Em março diminuem as chuvas convectivas e, principalmente a partir da segunda quinzena, as frentes frias chegam com maior frequência ao Sul do Brasil e são responsáveis pela maior parte da chuva no Estado, com média mensal variando de 100 a 130 milímetros do Oeste ao Planalto e de 150 a 210 milímetros no Litoral do Estado.

Normalmente as chuvas mais significativas no trimestre em Santa Catarina são decorrentes da passagem de frentes frias pelo litoral. Episódios de chuva mais intensa ocorrem no Oeste e de Laguna ao Litoral Norte, em janeiro e fevereiro. Em janeiro as condições atmosféricas são pouco favoráveis aos ciclones extratropicais no litoral Sul do Brasil.