Setor manteve estabilidade após recuperação nos últimos dois meses

O comércio varejista de Santa Catarina registrou leve queda em julho (-0,5%) na comparação com junho, segundo dados divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira (10). O dado mostra uma estabilidade do setor após recuperação da crise em maio (+20,5%) e junho (+2,8%). 

Na comparação com julho do ano passado, a variação é positiva em 12,2%. Os principais setores foram os de supermercados e hipermercados (+28,1%), móveis e eletrodomésticos (+26,5%), e artigos farmacêuticos, médicos, perfumaria e cosméticos (+10,5%). 

Por outro lado, as vendas de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-42,3%), combustíveis e lubrificantes (-12,4%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (-7,1%), e tecidos, vestuário e calçados (-3,7%) registraram retração. 

No varejo ampliado, o setor de veículos, motocicletas, partes e peças teve uma redução de -6,5% na comparação com julho de 2019. Já os materiais de construção registram alta de 24,4%.

Em geral, a receita tem crescido acima do volume, segundo o IBGE. No acumulado do ano, por exemplo, o faturamento com as vendas do comércio varejista restrito cresceu 5,8%, contra 3,4% no volume. Nos últimos 12 meses a receita foi de 8,5%, contra volume de 6,3%. 

Confiança

Segundo dado da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de SC (Fecomércio/SC), o índice de confiança do comerciante catarinense subiu pelo segundo mês consecutivo: o indicador passou de 68,9 pontos para 77,8 pontos, alta de 12,8%.  O indicador, varia de 0 a 200, onde valores abaixo de 100 indicam pessimismo.  

O principal fator para o pessimismo é a percepção pelos empresários das condições atuais, especialmente na economia. O indicador até subiu de 20 pontos para 23,4 pontos na passagem de julho para agosto, mas o resultado ainda representa um patamar negativo de 69,6% em relação ao ano passado.