Boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde nesta quarta-feira (9) aponta que Santa Catarina tem três regiões em risco gravíssimo: Laguna, Alto Vale do Rio do Peixe, e Nordeste. ?O número caiu em relação à semana passada, quando eram cinco regiões nesta situação. 

Além disso, são 12 regiões em risco grave: Grande Florianópolis, Carbonífera, Extremo-Sul, Alto Uruguai Catarinense, Foz do Rio Itajaí, Médio Vale do Itajaí, Alto Vale do Itajaí, Planalto Norte, Xanxerê, Serra, Meio-Oeste e Oeste. 

O Extremo-Oeste saiu de risco grave (laranja) para risco alto (amarelo). 

O boletim mostra um arrefecimento da doença no Estado. O número de regiões em risco gravíssimo é o menor desde o início da avaliação de risco regional. No final de julho e início de agosto, eram 12 regiões com classificação gravíssima.

Para realizar a avaliação, o governo do Estado leva em consideração os índices de casos ativos e recuperados, incidência, letalidade e velocidade de avanço do vírus.

Conforme cada classificação, os gestores são orientados a seguir uma série de ações, que variam desde o reforço nas medidas de isolamento social, aumento na testagem e isolamento de casos, reorganização dos fluxos assistenciais, e ampliação de leitos.